Páginas

22 de jul de 2010

Impossível


Eu passo o dia inteiro pensando em você, aliás, em você não, em nós. Em como sinto falta do tempo em que o "nós" não era um sonho saudoso, em que eu não sentia esse vazio aqui dentro, quando seus beijos curavam minhas feridas e seus braços eram meu porto seguro. Era tão bom olhar para seu rosto e sentir felicidade, e não saudade.
Agora, olho para o céu, e contando as estrelas, tento esquecer o brilho do seu olhar. Impossível.


Um comentário:

Lua disse...

Puxa, saudade dói demais mesmo. A gente procura não lembrar porque sabe que não está aqui agora; por outro lado, se foi bom, a gente lembra e fica feliz de ter sido real. Esse sentimento contraditório fica em nós. Acho que o melhor é lembrar do que foi bom. Olhar para as estrelas e lembrar que um dia elas foram testemunhas...
Beijos!